O Deus de meus pais se tornou meu Deus também

Por Daniela Almeida

Se você tem algum convívio com igreja evangélica é provável que entenda se eu disser que no dia 05/05/1985 eu levantei minha mão e aceitei Jesus. Hoje, porém, eu diria que minha história de conversão não começou ali. Nessa data eu tinha 12 anos. Já se passaram 31 anos deste então. Por mais que alguém possa dizer que aquele dia foi O Dia, hoje eu sei que minha história de conversão começou antes disso e não se limitou a uma data pontual.

12400523_1647975805419916_1056971201485815643_n

Daniela Almeida

Fui uma criança raivosa e uma adolescente solitária, mas a palavra estranha também serve para definir quem eu fui. Dizer isso é importante porque eram exatamente estas características que me afastavam das pessoas e vice-versa. Elas evidenciavam o quanto eu era alguém extremamente carente de Deus.

Nos momentos em que eu estava sozinha eu dizia para Deus o quanto eu detestava a minha vida e como eu queria agradá-lO. Hoje eu sei que Ele ouvia, mas naquela época Ele definitivamente não era o meu Deus, mas o Deus dos meus pais e o Deus que era cultuado na igreja que eu frequentava.

Continuar lendo

Anúncios